Informe Gospel TV






Parceiros

Reflexão

Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia.
O Senhor dos Exércitos está conosco; o Deus de Jacó é o nosso refúgio.
Ele faz cessar as guerras até ao fim da terra; quebra o arco e corta a lança; queima os carros no fogo.
Aquietai-vos, e sabei que eu sou Deus; serei exaltado entre os gentios; serei exaltado sobre a terra.
O Senhor dos Exércitos está conosco; o Deus de Jacó é o nosso refúgio.

Salmos 46

Blog

26 de abril é Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão

As doenças cardiovasculares representam a principal causa de morte no Brasil. A Hipertensão Arterial é um importante fator de risco que pode desencadear estas doenças e levar a sequelas graves ou à morte. 26 de abril é o Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão e o Planserv aproveita a oportunidade para alertar os seus beneficiários e a população em geral sobre a importância do diagnóstico e controle da doença.

De acordo com o médico auditor e cardiologista do Planserv, Rogério Ferreira da Silva, a hipertensão é desencadeada por múltiplos fatores, entre os quais se destacam o consumo exagerado de alimentos industrializados, hábitos alimentares errados, sobrepeso e sedentarismo, condições cada vez mais presentes na vida contemporânea. A hereditariedade também é um fator a ser considerado e pessoas com hipertensos na família devem ficar mais atentas às medidas de prevenção.

Quando não tratada adequadamente, a hipertensão pode ocasionar problemas graves como doenças renais, doenças cerebrovasculares, infarto do coração e doenças de vasos periféricos. “As consequências dessas complicações podem ser desastrosas, como sequelas permanentes do acidente vascular cerebral ou necessidade de hemodiálise permanente”, explica o médico.

A recomendação do especialista é que a população realize pelo menos uma medida da pressão arterial por ano e as pessoas com casos na família ou fatores de risco o façam a cada seis meses. Uma vez diagnosticada a hipertensão, é importante não fugir do problema e seguir as recomendações orientadas pelo médico, desde as mudanças de estilo de vida com dieta adequada e prática de exercícios físicos até o uso regular dos medicamentos prescritos.

Geralmente as medicações anti-hipertensivas são bem toleradas e caso haja algum tipo de reação, caberá ao médico orientar a substituição do remédio. “Existem diversas classes de medicação para a hipertensão e possibilidades de combinação que melhor se adéquam ao perfil de cada paciente. O importante é não falhar no uso das medicações e seguir sempre a orientação médica”, alerta o doutor Rogério Ferreira da Silva.

Cardiômetro

Este ano, a Sociedade Brasileira de Cardiologia lançou uma ferramenta chamada “Cardiômetro”, que permite que a população acompanhe o número de mortes por doenças cardiovasculares no Brasil em tempo real. Basta acessar o site prevencao.cardiol.br e acompanhar o número de mortes por doenças do coração por ano, por mês ou no dia.

O objetivo do lançamento foi destacar as doenças cardiovasculares como a primeira causa de morte no Brasil nos últimos anos e conscientizar a população sobre medidas de prevenção e fatores de risco como a hipertensão arterial. “Ao acessar o site, a população terá acesso também a orientações de hábitos de vida saudáveis, calculadoras de risco cardiovascular e diversas informações úteis”, destaca o médico.

É importante chamar a atenção para ferramentas como aplicativos de smartphones e tablets, que podem ser úteis na adesão ao tratamento da hipertensão, evitando o esquecimento da tomada de remédios, por exemplo. Existem também aplicativos que estimulam a atividade física e a adoção de hábitos saudáveis. “Já que estes aparelhos estão cada vez mais presentes no nosso cotidiano, a sua utilização para esses fins pode ser decisiva para a redução na mortalidade cardiovascular no futuro”, conclui o cardiologista.

Fonte: Ascom/Planserv


Categorias

SAÚDE